Bem-Vindo

Medicina e Odontologia Avançadas e Estética

   
Unidade Sussumu Hirata
11 3742-8128 | 11 5505-7059 | 11 99302-1616
Unidade Morumbi Town Shopping
11 5063-4130 | 11 99346-3343

Notícias

Enfrente os efeitos da baixa umidade do ar

A baixa umidade do ar acarreta malefícios ao organismo humano. Os olhos, nariz e a garganta ressecada transformam-se em porta de entrada para vírus e bactérias; os rins não funcionam direito, a pele torna-se ressacada assumindo aspecto envelhecido.

No Brasil inteiro mais acentuadamente no Centro-Oeste e no Sudeste, não apenas em função da amplitude térmica, mas também o ar extremamente seco e a poluição denunciam os maus-tratos ao meio ambiente. Consequentemente, o clima seco acarreta intenso desgaste ao organismo, que se mobiliza para manter a homeostase, ou seja, o estado de equilíbrio interno do organismo.

Inicialmente, surgem pequenos desconfortos, como dores de cabeça e tonturas. Ao longo dos anos, os sistemas respiratório e circulatório são afetados. No longo prazo o corpo sofre danos semelhantes aos provocados pelo cigarro.

Os olhos, porém, é que são os primeiros a sentir a influência do ar seco, pois a mucosa ocular é a mais exposta ao ambiente externo. Na falta de umidade, o filme lacrimal, uma leve partícula de água que recobre os olhos, evapora-se muito rápido, produzindo coceira. O ato de coçar os olhos aumenta o risco de contaminação por microorganismos levados pelas mãos, consequentemente há aumento da incidência de Conjuntivite.

Posteriormente, o nariz, a boca, a garganta e brônquios são afetados. A mucosa nasal fica ressecada e pequenos vasos podem romper-se produzindo sangramentos. Para piorar, aparecem feridas pequenas que funcionam como porta de entrada para vírus e bactérias, causando infecções locais que se não tratadas adequadamente podem evoluir para quadros mais complicados. Já os pêlos nasais, pouco lubrificados deixam de filtrar as partículas adequadamente, acarretando alterações que pioraram os quadros alérgicos e consequências até os pulmões. A mucosa da garganta fica seca e irritada, o que provoca tosse e coceira. Para aliviar a sensação vem o pigarro, que deixa a garganta mais irritada e suscetível a microorganismos.

Para a aliviar os efeitos provocados pela falta de umidade, sugerimos:

1 - Use colírio
Sem indicação do oftalmologista, só vale o produto que imita a composição da lágrima — há diversas marcas disponíveis no mercado. É possível optar por soro fisiológico, mas então só compre as ampolas descartáveis. Ao serem destampados, os grandes frascos de soro podem ter seu conteúdo contaminado com o toque das mãos.

2 - Pingue solução salina no nariz
Use algumas gotas de soro fisiológico 0,9% no nariz, pelo menos, 04 vezes ao dia.

3 – Cuidado com a alimentação
As frutas são recomendáveis, sobretudo as que têm mais água, como melão, uva e melancia. Evite as comidas com muito sal e outros condimentos.

4 - Cuidado com os esportes
Evite praticar atividades físicas entre 10h e 16h, especialmente se a temperatura estiver alta e fuja das ruas de grande movimento, onde se concentra maior quantidade de poluentes.

Nós da MOA- Medicina e Odontologia avançadas- estamos a sua disposição para ajudá-lo a enfrentar este outono/inverno com mais conforto!

Fale Conosco

Preencha seus dados abaixo e envie uma mensagem para nós

Enviar